Estado brasileiro, Educação e Encarceramento em Massa

Foto Maria da Penha.jpeg

Profa. Ms. Maria da Penha Silva Gomes

Maria da Penha Silva Gomes é Cientista Social, trabalha como Docente de Sociologia na Rede Paula Souza de Educação e Consultora em Habitação Social para o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IABsp). É especialista em “Cidades, Planejamento Urbano e Participação Popular” pelo Instituto das Cidades da Universidade Federal de São Paulo e mestre em Saúde Coletiva pela Escola Paulista de Medicina, também pela Universidade Federal de São Paulo. Integra do Catálogo das Intelectuais Negras Visíveis coordenado pelo Grupo de Estudos Intelectuais Negras da UFRJ. Minha carreira desenvolvida a área de Políticas Públicas, com ênfase em Habitação Social, Pesquisas Socioeconômicas, Educação, Desenvolvimento Local, Direitos Humanos e Saúde. Foi consultora pelo Pnud na 1ª Pesquisa Nacional de Vitimização para o Ministério da Justiça, pelo Unicef em avaliações dos resultados da Prova Brasil para o Ministério da Educação e pela Unesco no Programa de Desenvolvimento Local da Secretária de Trabalho, Desenvolvimento e Solidariedade da prefeitura de São Paulo. Foi avaliadora do Prêmio Itaú-Unicef.

             

           Enviar e-mail

Ementa

Em razão de pouco se saber acerca dos motivos pelos quais a população majoritária dos presídios brasileiros cursou a 4ª série do Ensino Fundamental. Neste curso pretende apresentar de que modo se realiza concretamente – posto que síntese de múltiplas determinações –  o patrimonialismo no processo de aprendizagem dos presos e egressos do sistema prisional na cidade de São Paulo. Partiremos da análise, considerando que o Estado brasileiro investiu recursos e aporte técnico no Sistema de Educação Brasileiro, especialmente no período de 2003-2016, no qual ocorreram significativos incrementos visando diminuir as desigualdades históricas no tocante à cor, etnia e gênero. 

Espera-se que os estudantes compreendam a formação do Estado brasileiro, a origem do patrimonialismo presente na sociedade brasileira e as diferentes formas de exclusão do sistema educacional por meio das práticas racistas, bem como a lógica do aumento da população carcerária nos últimos anos, que incorre numa política de Estado para "lidar" com os pobres no século XXI.


 

Conteúdo

Estado brasileiro

Patrimonialismo

Encarceramento em massa 

Educação

Racismo

Exclusão

Neoliberalismo

Política Pública

Quando?

 

O calendário de 2021 em breve será divulgado.

Investimento

 

Em construção.