Estado brasileiro, Educação e Encarceramento em Massa

Foto Maria da Penha.jpeg

Profa. Ms. Maria da Penha Silva Gomes

Cientista Social, Mestre em Saúde Coletiva e Especialista em Planejamento Urbano e Participação Popular (Unifesp). Atualmente presta serviços de Consultoria Técnica na área social e docente na Universidade Livre de Sociologia e Comunicação (UNAFRO). Integra do Catálogo das Intelectuais Negras e Visíveis (UFRJ). Carreira desenvolvida na área de Políticas Públicas, com ênfase em Educação, Urbanização e Habitação Social, Pesquisas Socioeconômicas, Desenvolvimento Local, Direitos Humanos e Saúde. Trabalhou como Consultora da ONU em diversos projetos e atuou como consultora no Programa de Desenvolvimento Local da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento e Solidariedade do município de São Paulo pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Foi Avaliadora do Prêmio Itaú-Unicef (2007 e 2009).

             

           Enviar e-mail

Ementa

Em razão de pouco se saber acerca dos motivos pelos quais a população majoritária dos presídios brasileiros cursou a 4ª série do Ensino Fundamental. Neste curso pretende apresentar de que modo se realiza concretamente – posto que síntese de múltiplas determinações –  o patrimonialismo no processo de aprendizagem dos presos e egressos do sistema prisional na cidade de São Paulo. Partiremos da análise, considerando que o Estado brasileiro investiu recursos e aporte técnico no Sistema de Educação Brasileiro, especialmente no período de 2003-2016, no qual ocorreram significativos incrementos visando diminuir as desigualdades históricas no tocante à cor, etnia e gênero. 

Espera-se que os estudantes compreendam a formação do Estado brasileiro, a origem do patrimonialismo presente na sociedade brasileira e as diferentes formas de exclusão do sistema educacional por meio das práticas racistas, bem como a lógica do aumento da população carcerária nos últimos anos, que incorre numa política de Estado para "lidar" com os pobres no século XXI.

 

O estudo da formação dos conceitos de formação do Estado e do Estado Brasileiro com ênfase em explicações da lógica do patrimonialismo da elite contriburá para melhor entendimento do engodo racial presente em nossa sociedade, especialmente no atual sistema educacional e na lógica do encarceramento em massa do século XXI, bem como o neoliberalismo.
 

Conteúdo

O que é Estado e a formação do Estado brasileiro. O que é patrimonialismo e como a elite brasileira utiliza o patrimonialismo como prática de exclusão da população negra brasileira do sistema educacional. A lógica do encarceramento em massa a educação prisional no sistema prisional brasileiro.

Quando?

 

Datas dos encontros: terças e quintas, das 19h às 21h. Dias 16, 18, 23 e 25/11, 07, 09, 14 e 16/12

Investimento

 

Valor Ideal R$120

Valor Justo R$100

Valor Social R$80